VIDA E VOCAÇÃO

 

 

“Quero ser todo de Deus, quero ser todo do povo de Deus!"

 

         

          No dia 31 de maio, dia em que celebramos a festa da visitação de Nossa Senhora, completei nove anos de vida sacerdotal. Neste dia de ação de graças, tive a oportunidade de agradecer muito ao Deus da Vida, da Esperança e da Paz por ter me concedido a graça de celebrar, comemorar e festejar os nove anos de vida sacerdotal na Diocese de Itaguaí. Tenho a dizer que os desafios ao longo de todo este tempo foram muitos, mas as conquistas é que me levam a dar glória a Deus. Uma das conquistas que venho obtendo resultado é a superação de todos os meus limites pessoais e obstáculos que encontrei na vida sacerdotal. Tudo aconteceu na medida em que procurei firmar um dos meus grandes sonhos: servir com simplicidade, humildade, sem ostentação, e ao meu ver este é o sonho da Igreja hoje. Certo dia, um padre amigo me disse que eu sou um discípulo de Jesus Cristo, isto aparece na minha simplicidade, na minha humildade e no meu equilíbrio humano. Disse também que eu sei muito bem por onde caminha a vida, a história, sei discernir e sei ser eu mesmo, sei dar a minha contribuição de maneira discreta, sou uma pessoa de oração, alguém que perde tempo com Deus.
           Ao chegar nestes nove anos de vida sacerdotal, vejo que tudo isso é verdade. Estou vivendo o ministério sacerdotal com muita convicção, força de vontade e alegria. O ministério sacerdotal é de fato uma grande força e luz na caminhada de nossa Igreja. Tenho a certeza de que Deus me chama ao serviço ministerial para participar do pastoreio de Jesus Bom Pastor, numa comunhão apostólica ao serviço do povo de Deus. O que me sustenta no dia a dia é a presença compassiva e misericordiosa de Deus. Ele me chamou a uma vocação, não por causa de minhas obras, mas conforme seu próprio projeto e graça.
           Com muita simplicidade e humildade me encontro totalmente integrado numa caminhada de fé, me encontro no altar para celebrar a Santa Missa, me encontro nos trabalhos pastorais e nos movimentos para animar e incentivar, enfim, me encontro bem e feliz em estar colaborando com o crescimento do Reino de Deus.
             Termino com o seguinte pensamento: o sacerdote não é somente aquele que presta serviços à comunidade, nem somente o mestre, que ensina as verdades da fé ao seu povo, mas é um peregrino em busca de Deus no meio e junto com seu povo, no exercício de sua missão específica de ser discípulo de Jesus e ser discípulo de uma igreja viva, nova, dinâmica etc, portanto, como sacerdote, renovo o que eu disse no início do ministério sacerdotal: Quero ser todo de Deus, quero ser todo do povo de Deus!”

Pe.Milton recebendo homenagem em bonita confraternização na cantina Paroquial
VOLTAR